Posts

Natal – Fotos pelo Mundo

 

O período Natalino é a melhor época do ano, muitas luzes, muita alegria, é tudo de bom.

Passear pelas ruas e ver as casas, as árvores, os prédios decorados com luzinhas é sempre um prazer.

Existem cidades pelo mundo que investem muito na decoração Natalina, conseguindo atrair muitos turistas, ou pelo menos evitar que os moradores locais viagem para outros lugares.

Um ótimo exemplo é Gramado, onde o Natal é comemorado ao máximo, com desfiles pelas ruas principais onde todas as casas e prédios estão super decorados. Tenho na minha lista de locais a serem visitados a cidade de Gramado. No futuro teremos um álbum sobre a cidade.

Estive em Poços de Caldas e foi muito bom passear pela praça central e ver toda a decoração Natalina, tanto que resolvi fazer este álbum.

Separei algumas cidades decoradas para o Natal que pude fotografar durante minhas viagens.

Espero que gostem.

Feliz Natal!!!

.

Decoração Natalina em Poços de Caldas

.

Kensington – Jardins e Palácio – Londres

Londres tem um número enorme de parques, o mais conhecido é o Hyde Park pelo seu tamanho e pelos shows ao vivo que lá aconteceram.

O Kensington Park é uma continuação do Hyde Park, separados somente por uma rua. Como em uma visita a Londres é recomendável incluir um passeio pelo Hyde Park, fica fácil dar uma passada nos jardins do Kensington Park. Conhecendo um certamente conhecerá o outro, vale a pena.

A maior diferença é que o Kensington Park é melhor cuidado porque nele encontramos o Kensington Palace, uma residência real britânica. Os jardins ao redor do palácio são muito bonitos, cuidados com o mesmo tratamento dado por um fanático por flores ao jardim da sua casa. Os arbustos são podados como se fossem únicos, e a composição de plantas é perfeita.

Além da beleza do prédio e dos jardins, o Kensington Palace ficou mais famoso por ter sido a residência da Lady Di, ex-mulher do Príncipe Charles. Dentro do palácio inclusive existe uma exposição de vestidos usado por ela em alguns dos mais famosos eventos de sua vida.

Durante a visita aos jardins não deixe de ver o portão principal do palácio, conjunto de ferro cinza com dourado que, a princípio, parece um pouco brega, mas que a frente ao palácio compõe muito bem. Normalmente encontramos algumas flores ao lado do portão para homenagear Lady Di, ainda hoje muito amada pelo povo inglês.

Para visitar o interior do palácio é necessária pensar um pouco, o custo é alto, 18 libras em setembro de 2016 e não existe realmente ambientes que impressionam. As salas são bonitas, mas para quem visitou outros palácios ingleses ou franceses, o interior do Kensington Palace está mais para uma residência comum. Compensa pagar o ingresso quem tem admiração pela Princesa de Gales, Diana, com a exposição de vestidos e alguns objetos pessoais que comentei.

Concentre sua visita no jardins e fachadas dos prédios, o passeio pelo parque é livre, sem custo algum, e as imagens são muito bonitas. Guarde o valor do ingresso para um almoço ou jantar em Londres, você certamente fará melhor negócio.

.

The Royal Parks

.

Castelo de Arundel – Inglaterra

Tenho ido ao sul da Inglaterra algumas vezes, mas normalmente vou no final do ano, inverno Europeu.

Fui mais de uma vez almoçar em Arundel, em um Pub chamado Black Rabbit, comida muito boa, ao lado de um lago com uma paisagem bastante agradável. Passava em frente ao Castelo de Arundel, mas ele sempre estava fechado. Minha curiosidade em visitá-lo ficava cada vez maior.

As primeiras construções do Castelo de Arundel datam de 1067. Através dos anos vários proprietários e várias batalhas se passaram. Fortificações foram destruídas e reconstruídas. O castelo foi por muito tempo o centro da resistência católica ao predomínio da religião protestante na Inglaterra.

No século 16 o castelo foi comprado pelos duques de Norfolk e seus descendentes habitam seus aposentos até hoje.

Após certo abandono, o castelo foi todo reconstruído no fim século 18, início do 19, tomando a forma que encontramos hoje. Somente a grande torre é da época medieval.

No verão, mais precisamente entre os meses abril e agosto, os proprietários abrem parte do castelo a visitação para arrecadar valores que servirão para a manutenção dos prédios.

A primeira viagem a Inglaterra, no período em que o castelo estava aberto, não perdi a oportunidade da visita, e valeu a espera.

Os jardins do Castelo de Arundel são magníficos, muito bem planejados e cuidados a perfeição. É um prazer andar por seus caminhos. Existe inclusive uma horta 100% orgânica que abastece os moradores do castelo e o excedente é vendido na cidade.

Nos jardins podemos encontrar a capela paroquial de St. Nicholas, pelo tamanho é realmente é uma igreja. Muito bonita com lindos vitrais e o forro todo trabalhado.

Parte da muralha está aberta para visitação. Nas fortificações a vista da cidade e dos campos verdes ao redor é imperdível.

Boa parte do interior do castelo também está aberto à visitação, infelizmente era terminantemente proibido tirar fotos. No inverno os Norfolks usam todas as dependências do castelo, as salas e salões são frequentadas normalmente no dia a dia, com isso os ambientes demonstram ter vida, diferentes de um museu. Podemos até encontrar um telefone no escritório, tudo bem que antigo, de disco, mas acho que este não é um objeto medieval. Sendo assim não é correto tirar fotos do interior de uma residência de pessoas que não conhecemos.

Os ambientes estão decorados com mobiliário antigo muito bem cuidado. A biblioteca é incrível.

Tudo no Castelo de Arundel é realmente utilizado, é real, e por isso está muito bem conservado. Passear pelo castelo nos leva a sentir que estamos em algum lugar do passado.

.

Planeje sua visita ao castelo

Black Rabbit

.

Seven Sisters Country Park

 

Brighton

Um dos passeios mais bonitos que já fui em Brighton foi ao Seven Sisters Country Park.

Fica a 34 milhas (55 Km) de Brighton, utilizando a estrada beirando o mar que proporciona vistas deslumbrantes.

O parque é tipicamente inglês, com um campo bem verde, mesmo no inverno, com vista para casas que mais parecem castelos.

Estacionamos o carro junto a estrada e logo na entrada o Visitor Center, que fica numa casa feita de pedra com telhado bem inclinado. O imóvel não foi construído para o parque, ele já existia na fazenda antes da área se tornar um parque e tem centenas de anos.

Caminhamos até o mar onde o parque tem o grande diferencial, os clifes, que são paredões a beira mar, parecidos com nossas falésias, mas com tamanhos impressionantemente maiores.

O solo de grande parte do sul da Inglaterra é predominantemente de calcário, proporcionando os paredões praticamente brancos a beira mar. O calcário não tem uma dureza muito grande e tem facilidade para ser “esculpido” pelo vento. Se de um lado isto é bom porque formam os paredões, por outro lado o processo continua, e é necessário fazer grandes esforços para preservar os campos existentes. Quando for, repare as telas de aço, como as de galinheiro reforçadas, colocadas em pontos estratégicos para evitar a erosão.

Quando fomos estava muito frio e nos gramados, que na verdade são pastos, existiam dezenas de ovelhas, o que tornou a visita mais tipicamente inglesa.

A composição formada pelo gramado, o mar e os clifes formam paisagens incríveis, principalmente para fotógrafos.

Se for, mesmo no verão, não conte com o banho de mar, a água é sempre muito fria.

Você pode ir de carro ou de ônibus. De ônibus é até mais gostoso, você fará um lindo passeio a beira mar com um também típico ônibus inglês de dois andares. Para ir de ônibus é só ir até o píer de Brighton e perguntar por onde ele passa. Sabendo o número da linha, no ponto de parada você terá os horários de ida e de volta de forma que você poderá se programar.

.

Seven Sisters Country Park

.

Chocolateria Choccywoccydoodah

Brighton é uma cidade muito descolada. Por ser praiana e ter duas grandes universidades é muito normal ver pessoas, digamos assim, fora de um padrão tradicional.

O cabelo completamente vermelho da novela é muito comum na cidade há muito tempo. Tatuagens pelo corpo todo é mais comum do que em qualquer outro local que já estive. Dizem até que certas pessoas tem uma verdadeira fortuna em tatuagens pelo corpo, passeando pelo centro você acredita.

Na artística cidade de Brighton é que nasceu uma das mais famosas casas de chocolate artístico do mundo, a Choccywoccydoodah.

O nome já é uma obra de arte, mas o que faz sucesso são as esculturas feitas de chocolate. A vitrine da loja é um dos pontos turísticos mais procurados, parece uma galeria de arte e não uma chocolateria, como são chamadas. Nas fotos acima praticamente tudo é feito com chocolate.

Os bolos em forma de escultura são conhecidos por toda a Inglaterra. Vários dos casamentos mais importantes dos últimos anos tiveram bolos fornecidos pela Choccywoccydoodah. Vendo as fotos fico pensando como é feito o transporte dos bolos, tem que ter um cuidado incrível.

Você encontra na Choccywoccydoodah chocolates ao leite, mas o que vale a pena conhecer são os exóticos, o chocolate com pequenas pedras de sal grosso por fora são uma delícia. Outros sabores vou deixar para vocês conhecerem quando visitarem a loja.

A Choccywoccydoodah é tão famosa que sempre aparece no programa Chocco Fantasy da Fox Life.

A loja é tão diferente que vale a visita, principalmente por fotógrafos.

Veja o link da loja e admire a arte com chocolate.

.

Chocolate Choccywoccydoodah

.

Transporte do aeroporto de Heathrow até Londres

São três as opções de transporte do aeroporto de Heathrow até Londres, e devemos pensar bem na nossa escolha levando em consideração alguns aspectos. A distância do aeroporto para a cidade é grande, quase uma viagem.

Vamos as opções:

  1. Taxi – custa em média 80 pounds até o centro de Londres, se não for hora de rush. Esta é sempre a última opção que escolho por causa do alto custo. A vantagem é a praticidade de pegar na porta do aeroporto e descer na porta do hotel ou da sua hospedagem. Leva de 40 min a 1 hora dependendo do trânsito. Você poderá ver a cidade durante o trajeto.
  1. Heathrow Express – custa 21,50 pounds somente a ida ou 35 pounds se compramos a ida e volta. Valor por pessoa. Existe uma categoria Bussiness mas é completamente dispensável, a categoria Express com os valores acima é excelente. O trem passa em todas os 5 terminais do aeroporto de Heathrow e depois tem parada única na estação de Paddington em Londres após 15 minutos, é o mais rápido. Será necessário pegar um metro, ônibus ou um taxi até seu hotel ou hospedagem. Se você estiver sozinho ou em um casal é uma ótima opção. Se sua família for de casal mais dois filhos, por exemplo, o custo é o mesmo do taxi. Veja abaixo o link para o site do Heathrow Express. Você pode comprar antecipadamente ou mesmo pagar na hora que o controlador de passagens chegar. Ele sempre passa, não falha.
  1. Metrô – é a opção mais barata, custa 5 pounds do aeroporto até as linhas de metrô da cidade de Londres. O inconveniente é o tempo que ele leva. Após uma viagem de 10 a 11 horas no avião pode ser muito desgastante passar mais uma hora e meia dentro de um vagão, tempo médio se não precisar de muitas transferências de linha. Lembre-se que você estará com as malas e o metro conforme o horário pode ser bem cheio principalmente quando estiver dentro da cidade de Londres.

Todas as opções são muito bem sinalizadas, não é necessário nem sair perguntando onde é cada uma.

Taxi – 80 a 100 pounds só ida – caro mas com conforto. Com família, pense um pouco.

Heathrow Express – 35 pounds ida e volta. Rápido, mas necessita outro transporte depois.

Metrô – 5 pounds ida + 5 pounds volta, barato, mas cansativo, conforme o bolso é a sua única opção.

 

Heathrow Express – www.heathrowexpress

 

Portfolio Items