Pit-stop na Nascar

O pit-stop na Nascar pode ser comparada a um balé. A coordenação tem que ser tão perfeita que parece uma dança.

Tem que estar tudo coordenado porque a eficiência pode levar um piloto a vitória ou um erro, leva a derrota.

Uma porca que cai faz com que o tempo de parada aumente muito.

Diferente da Formula 1 o número de pessoas no pit-stop é limitado e a fixação dos pneus é feita por várias porcas e não por uma central. Com isso os tempos são maiores e tem que ser mais ensaiados.

A corrida de Nascar tem entre 400 a 600 milhas (643 a 965 km) assim são necessárias várias trocas de pneus e reabastecimento.

Nas corridas de Nascar um pit-stop pode mudar toda uma classificação, o primeiro pode sair em quarto como o décimo pode sair em primeiro.

As corridas de Nascar são feitas quase todas em circuitos ovais e o desgaste maior dos pneus é do lado direito (as corridas são sempre no sentido anti-horário) um piloto pode arriscar a trocar somente dois pneus, gastar menos tempo, e passar na frente de vários concorrentes. Lógico que ele terá que torcer por uma bandeira amarela rapidamente o que leva a outro pit-stop onde será trocado quatro pneus. Caso contrário, ficará em desvantagem e será ultrapassado por vários pilotos.

 

Veja também em Dicas e Casos “Pit-stop de Joey Logano

 

0 respostas

Deixe seu comentário

Quer participar da discussão?
Fique a vontade para contribuir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *